18 setembro 2014

Mãe e filha assumindo publicamente um relacionamento incestuoso e lésbico?



Mais uma mentira disseminada pelas redes sociais. Isso é muito comum na websfera e tem até nome: "hoax", que numa livre tradução significa "farsa".

Quando vi essa notícia, logo de cara percebi que se tratava de um engodo. Não que eu não acredite em incesto e lesbianismo, pois eles existem desde a Antiguidade. O que chamou a minha atenção foi que havia apenas um site noticiando o suposto relacionamento. E não era uma fonte segura.

Alguns amigos postaram a notícia. Uns com legendas interrogatórias, não acreditando 100%, mas passando a frente. Outros, teceram comentários filosóficos e teológicos acerca do caso. Até que realmente podemos afirmar: É MENTIRA!

Aproveito aqui o ensejo para proclamar aos meus amigos cristãos evangélicos a tomarem um pouco mais de cuidado com o que vinculam nas redes sociais. Claro, qualquer um, inclusive eu, pode se deixar enganar e reproduzir uma informação duvidosa. Todavia, venho observando uma constância nesse tipo de procedimento (noticiar inverdades). O que é lamentável, pois, deveríamos ser cautelosos devido ao nosso compromisso com a Verdade.

Vejo muitos pastores, homens respeitados e inteligentes na exposição da Palavra, se deixando levar pelo sensacionalismo da internet e espalhando "hoax's" para todo lado. E a situação se agrava nessa época eleitoreira. Muitos usam suas redes sociais para defender candidato A em detrimento de candidado B ou C, no entanto, fico observando às fontes. Vi um mesmo pastor publicar notícias de um portal "fake" do SBT e do Estadão. E porque digo que os portais são falsos? Por estarem hospedados no Blogspot. Pelo amor de Deus, esses gigantes midiáticos tem plataformas próprias, não vão usar o blogger. É tão óbvio, falta apenas atenção.

Os evangélicos tem uma má fama de serem alienados e manipulados facilmente. Certa vez, um carinha quis comprovar essa tese colocando uma manchete que dizia: "João Gordo se converteu". Havia um texto detalhando a conversão e continha até depoimentos do convertido. Porém, no último parágrafo, o texto dizia que a notícia era falsa e o objetivo era ver se todos iam ler até o fim ou compartilhariam mesmo não sendo verdade. O que aconteceu? Acho que não preciso nem dizer.

Voltando ao caso da mãe e da filha que teriam um relacionamento amoroso, o site que vinculou a notícia chama-se "Stupidd". E sabe o que isso significa? É um trocadilho com a palavra "estúpido".

Então meus amigos e irmãos. Encarecidamente rogo: Consultem as fontes antes de propagar qualquer informação.

Graça e Paz!

bereianos.blogspot.com.br

Por Thiago Oliveira


Reações:

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2012 - Uma mensagem de esperança