06 fevereiro 2012

Engenharia sionista de guerra contra o Irã


Engenharia sionista de guerra contra o Irã.

Artigo original titulado: Engenharia de Guerra no Irã: Todas as opções sobre a mesa?
Benjamin Netanyahu e Barack Obama

Uma pergunta: Como você faria para convencer o mundo de que – por mais que você esteja armado até os dentes e tenha antecedentes deploráveis de invasão e destruição de nações inteiras – na realidade você não têm “outra opção” que a de lançar outro “ataque militar preventivo” contra um país que não te agrada?


Não há dúvida: esta deve de ser a pergunta que inundam os miolos dos planejadores políticos, militares e de guerra psicológica nos centros chaves de tomada de decisões da Elite de Poder Global em Nova York, Londres, Tel-Aviv e Washington.
Não, não me refiro ao Departamento de Estado, ao Pentágono, a Casa Branca, o Congresso ou seus asseclas no Reino Unido e nos países europeus.  Essa gente só aceita órdens e as executam.


Me refiro aos autênticos tomadores de decisões durante as reuniões da Conferência Bilderberg, a Comissão Trilateral, o Conselho de Relações Exteriores e no AIPAC (Comitê Estadunidense-Israelense de Assuntos Públicos). Pois são eles quem dão as órdens aos Obama, Cameron, Clinton, Merkel e Sarkozy deste mundo.


Se por acaso não obedecerem ou se não avançam o suficientemente rápido, então, como disse Bush Junior, “todas as opções estão sobre a mesa…”
Isso, ao menos, é o que recomenda o militante sionista pro-Israelense Andrew B. Adler, dono e editor do jornal ‘Atlanta Jewish Times’ dos EUA, num artigo publicado na página 3 de seu jormal no passado 13 de janeiro. Adler quer que o primeiro ministro israelense Benjamin Netanyahu atue já contra Irã, Hezbollah e Hamas, seja conjunta ou individualmente; e recomienda que:


1.   “Ordene um ataque preventivo contra Hezbollah e Hamas”;


2.   “…Ordene a destruição das instalações nucleares iranianas custe o que custar”;


3.   “Dê a luz verde a seus agentes do Mossad nos EUA para eliminar a um presidente evidentemente pouco amistoso para que seja substituído pelo atual vice-presidente, e assim obrigar a que se imponha nos Estados Unidos uma política que inclua ajudar o Estado judeu a aniquilar a seus inimigos”.


Estas são as palavras textuais escritas pelo Sr. Adler em seu artigo titulado “O que você faria?”, publicado no ‘Atlanta Jewish Times’ em 13 de janeiro. E para assegurar-se de que todos entenderemos bem sua mensagem, o Sr Adler agregou, “Sim! Você leu bem a opção 3. Ordenar um golpe contra um presidente com o fim de preservar a existência de Israel. Pense. Se eu pensei nesta opção, não acha que esta quase inimaginável ideia já tenha sido discutida nos círculos mais intimos dentro de Israel?”


Ou seja: agora vemos como um sionista militante de dentro dos Estados Unidos sugere que a agência de espionagem israelense Mossad assassine o presidente Barack Obama para que o vice-presidente Joe Biden possa sunstituí-lo.  Ele mesmo e “muito mais confiável” Biden que em 7 de abril de 2007 declarou em Shalom TV de Israel: “Você não precisa ser judeu para ser sionista. Eu sou sionista!”


Na verdade, Joe têm razão. Nem todos os judeus são sionistas e, simétricamente, nem todos os sionistas são judeus. Outros exemplos de sionistas gentis? Bush pai e filho, Condoleeza e Susan Rice, Bill e Hillary Clinton, Dick Cheney, Tony Blair, David Cameron, Don Rumsfeld, José María Aznar, Angela Merkel, Nicholas Sarkozy; no meu país, Argentina: os Kirchner, Alfonsín, Menem, Macri. Na verdade, a lista é muito, muito extensa.


Agora, imagine-se o que aconteceria se os rapazes do Mossad ajudados pelos rapazes da CIA e do MI6 seguissem as recomendações de Andy Adler e realmente levassem a cabo este espantoso jogo sujo que Adler propõe, para logo projetar uma guerra psicológica de histeria midiática, gerando “provas” que comprometam o Irã pelo horrendo crime. Ou a Síria?  Ou o Hamas? Ou o Hezbollah??
Uma presa fácil


Enquanto isso, no frente militar, parece que os EUA conseguiu acalmar um pouco aos falcões israelenses lhes prometendo exercícios militares conjuntos, que agora ficaram adiados para outubro.


De todos as formas, Israel não está contente ante as demoras dos EUA em torno a ações unilaterais contra o Irã. Apesar de que EUA enviou 15.000 tropas a Kuwait; equipamento militar de última geração aos Emirados Árabes Unidos; reforçou a Quinta Frota baseada no Bahrein, despachou os porta-aviões USS Lincoln, USS Stennis, USS Vinson, os submarinos nucleares e o porta-helicópteros USS Ponce para serviço imediato no Golfo Pérsico, mais: aviões tele-dirigidos, bombas de urânio tipo ‘bunker buster’, mísseis, buques de guerra, caças, bombardeios. Isso é muito equipamento militar de alta tecnología para “defender Israel”!


Porém, há um velho problema que destoa de tudo isto: o USS Enterprise, o porta-aviões nuclear mais antigo (meio século) dos EUA: uma velha banheira obsoleta, lenta e torpe; uma verdadeira peça de museu.


Tão antigo, que está previsto sua retirada de serviço e seu posterior desmantelamento para o ano que vêm. O que estará fazendo o USS Enterprise no Golfo Pérsico?



Não será que, inspirados pela “Opção 3” proposta pelo Sr Adler –“assassinemos o presidente e culpemos disto o Irã” – alguem está planejando algum ataque de “falsa bandeira” contra o Enterprise para logo culpar o Irã? Seria o Casus Beli perfeito!!


Para quem como nós temos tantas, tantas perguntas sobre o que realmente ocorreu com o ataque de 11 de setembro de 2001, seria “déjà-vu outra vez…”


Lembrem que algo parecido ao que hoje assinalamos em torno ao “Enterprise” ocorreu com o Complexo das Torres Gêmeas: era velho, caro de manter e continha toneladas e toneladas de amianto instalado nos anos 60 (mas hoje proibido por ser cancerígeno) que deviam ser retirados a um custo de mais de 1 bilhão de dólares. Duvido que isto o Sr.Larry Silverstein tenha esquecido disto, que adquiriu as Torres gêmeas apenas seis semanas antes do 11 de setembro.


Seja como for, desde aqueles ataques Larry caminha pelas ruas de Manhattan com um grande sorriso logo de que um tribunal nova-yorquino falhasse a seu favor, condenando a suas seguradoras a pagar-lhe os dois sinistros por ambas torres, e não só um por tratar-se de um evento de terrorismo (assim, Larry cobrou do seguro 7 bilhões de dólares ao invés de 3,5 bilhões).


Voltando ao Irã: após o escândalo gerado pelo seu artigo, o Sr Adler pediu desculpas pela excessiva candidez de seu Chutzpah e renunciou como editor do “Atlanta Jewish Times”. Porém, continua sendo seu proprietário.
Enfim, esperemos para ver qual será o próximo movimento neste Grande Tabuleiro de Xadrez Mundial.


A tudo isto, continuo me perguntando: Quem atirou em John Kennedy?
Adrian Salbuchi para RT Espanhol
­Adrian Salbuchi é analista político, autor, conferêncista e comentarista em rádio e TV da Argentina. Site: www.asalbuchi.com.ar
Fonte: RT

Comentário do blog:
Conforme apontando por Salbuchi, os sionistas se sentem tão poderosos que se dão ao luxo de pedir o assassinato de um presidente num jornal quando este não obedece às órdens explícitas de Tel-Aviv. EUA é controlado totalmente pelo lobby judeu-sionista, todos os políticos que lá estão são financiados por este lobby e quem sair da linha é assassinado. Foi assim com Kennedy e vários outras pessoas que atravessaram o caminho desses psicopatas genocidas.
No Brasil o nazi-sionismo também está infiltrado, é representado por indivíduos que se comportam da mesma forma que Adler. Aqui está o vídeo de Caio Blinder e Diogo Mainardi, pedindo o assassinato de mais cientistas iranianos no programa da Rede Globo “Manhattan Connection” para “salvar Israel”.


Este psicopata é o mesmo que anteriormente, no mesmo canal Globo News ofendeu a rainha da Jordânia de “piranha”! Colocando o Brasil numa saia justíssima perante os Árabes!


Outra informação importantíssima e que a maioria da população brasileira não sabe. O governo brasileiro está repleto de judeus e que pelo que foi exposto, trabalham para os interesses de bancos e corporações sionistas, ou seja, são sionistas!


A mídia é controlada pelo movimento sionista, emissoras de TV, rádios, jornais e revistas.


Será que esse pessoal todo da TV está lá para nos informar sobre a verdade no mundo? Ou estão lá para nos entreter com imbecilidades e desinformar? Afinal, quem trabalha para a mídia corporativa vende sua alma para os interesses de seus donos ou acionistas, são vassalos dos planos da elite que está no poder. Quem são os donos e/ou acionistas da Globo, da Band, da Record, e do SBT?


Tendo isto em evidência, podemos concluir o porquê os programas de televisão difundem o que há de pior para as massas, já podemos entender que o lixo divulgado na TV e nos jornais é publicado propositalemente para manter a população ignorante, pervertida e obediente. Um povo estúpido e que consome a porcaria que é divulgada pelas emissoras de TV é um povo fácilmente manipulado e que aceita o que lhe é imposto, inclusive, aceitar passivamente que sionistas possam planejar, anunciar e executar assassinatos de pessoas em todo o mundo.
O despertar da humanidade deve ser dado neste sentido, de entender que existe um grupo extremamente pequeno e altamente perigoso.


Quando Adler publicou o pedido do assassinato do Obama, comunidades judaicas imediatamente protestaram e com toda razão. Judeus verdadeiros jamais iriam fazer apologia ao assassinato, muito menos para defender um Estado comprovadamente criminoso como Israel.


Aqui temos vídeos mostrando o outro lado da comunidade judaica que não é mostrada na mídia, e não mostram para que a comunidade internacional não consiga identificar um judeu verdadeiro(que segue a religião judaica e a palavra de Deus) de um judeu sionista(cujo Deus é o dinheiro). Os próprios judeus já estão se mobilizando para acabar com o movimento sionista. Confira.




Veja mais vídeos no Youtube pesquisando por “rabinos contra o sionismo”. Pesquise também por sionismo e judaísmo, leia tudo que puder enquanto os sionistas ainda não censuraram a internet com SOPA, PIPA e ACTA.


Como o leitor pode constatar, deve ser feita uma separação radical do que é judaísmo e o que é sionismo.


Muitos irão perguntar: – “Mas de onde vêm então esse ódio israelense já que existem judeus que são totalmente contra o sionismo?”. Pois aqui deixo um documentário esclarecedor chamado “Difamação – A indústria do antissemitismo“, mostrando como o governo israelense, os sionistas que estão no governo, faz a lavagem cerebral em seus jovens para que desde cedo sintam ódio contra os palestinos e contra o mundo.


Enquanto a mídia sionista fala 24hs sobre as plantas nucleares do Irã, nada se fala sobre o arsenal nuclear criminoso de Israel, que já recebeu dezenas de condenações na ONU e até hoje nenhuma foi acatada, pelo contrário, o programa nuclear israelense jamais sofreu intervenção e têm sido desenvolvido descaradamente, para ser usado contra a humanidade.


Por quê é importante que todos saibam disto? Porque a humanidade está sendo arrastada para uma 3ª Guerra Mundial com uso de armas nucleares por estes psicopatas e se não houver denúncia e mobilização eles vão nos destruir para que consigam perpetuar o seu poder e assim continuar mantendo o que restar da humanidade em regime de escravidão. Eles nos enxergam como “gado humano”.




http://caminhoalternativo.wordpress.com

Reações:

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2012 - Uma mensagem de esperança