06 fevereiro 2012

O ROSTO DA GUERRA.....


O rosto da guerra: fotos de soldados antes, durante e depois do Afeganistão.


A série ‘We Are The Not Dead’: Soldiers on Afghan Mission, do fotógrafo escocês Lalage Snow, retrata, literalmente, os devastadores efeitos de uma guerra sobre a psique dos combatentes.

Private Matthew Hodgson, 18

Muito se têm falado sobre a guerra, sobre sua essência ligada a uma intenção – talvez primitiva – de dominar, sobre os desmoralizantes efeitos que imprime numa sociedade e o monumental custo financeiro, ético, psicológico e vivencial que implica. Hoje imaginamos, com relativa fidelidade e graças a certas reportagens, filmes, e crônicas, que o participar numa guerra pode ser, compreensivelmente, um evento devastador para a natureza humana. Mas o certo é que poucos documentos retratam de maneira tão contundente as implicações que uma experiência bélica pode ter na psique de uma pessoa, como a série ‘We Are The Not Dead’: Soldiers on Afghan Mission, do fotógrafo escocês Lalage Snow.


Ao longo de oito meses, Snow retratou soldados britânicos do 1º Batalhão pertencentes ao Regimento Real da Escócia, enfatizando em três momentos chaves: antes de que partissem para a guerra, durante sua estadia, e quando regressaram a seus lares. Cada sequência fotográfica é acompanhada dos pensamentos e sentimentos emitidos pelos soldados participantes.


Chama a atenção um determinado padrão que envolve as sequências e que poderiam ser descritas da seguinte forma:
O antes: observamos a jóvens escoceses, alguns con um certo ar de ingenuidade, de frescor, e embora na maioria se possa perceber uma certa decisão ante seu porvir, também denotam expectativa e, particularmente, temor.


O durante: observamos a estes mesmos soldados mas agora parecem inmersos numa espécie de transe, de hipnóse dinâmica que endurece notávelmente seus rostos. Em seus olhares se pode perceber uma certa frieza, uma sobre estimulação alienante que talvez mascara um presente aterrador.


O depois: se tivéssemos que sintetizar numa só palavra o “depois” destes soldados, esta seria “perturbação”. Praticamente todos compartem uma certa malícia que resulta inquietante, e que se combina com uma clara desolação.

Private Chris MacGregor, 24.

Private Sean Patterson, 19.

Private Michael Swan, 20.

Lance Corporal Sean Tennant, 29.

Private Fraiser Pairman, 21.

Lance Corporal David McLean, 27.

Fonte: Pijamasurf e Telegraph

Comentário do blog:
O pior é que esses jovens são enviados ao fronte de guerras que são criadas para atender aos interesses de bancos e corporações. Basta se perguntar, quem financia as guerras e quem lucra com ela? E são as corporações do petróleo, industria bélica, corporações de tecnologia e banqueiros os que lucram bilhões.


Qual é o motivo que leva esses jovens à essas guerras ou o que os convence a isto?
Para convencê-los a ir os governos criam condições econômicas e políticas que forcem o individuo a acreditar que a única forma de escapar da sua precária condição social é se alistando no exército. Aliado a isto, o governo divulga através da mídia corporativa, diversas propagandas belicistas, como filmes do tipo Top Gun, fazendo a cabeça dos jovens que a guerra é uma ótima aventura.


Além disto, criam o fator principal, o inimigo a ser combatido! E aqui entram os “terroristas islâmicos”, os homens de turbantes que planejam atentados terroristas de dentro de cavernas em áreas inóspitas do Afeganistão, para atacar do outro lado do mundo, nos EUA. Com toda esta campanha midiática, a população acaba acreditando nessas farsas.
Pronto, está criado o exército para lutar pelos recursos naturais que são do interesse dos senhores do mundo.






http://caminhoalternativo.wordpress.com

Reações:

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2012 - Uma mensagem de esperança